Porque é importante escolher bem a alimentação do seu patudo?

“Somos o que comemos” é uma frase bem conhecida de todos nós. O que não podemos esquecer é que os nossos patudos não são exceção neste ditado. Tal como no ser humano, uma alimentação equilibrada e rica em nutrientes essenciais para o funcionamento do organismo faz toda a diferença quando queremos garantir aos nossos companheiros uma vida longa, saudável e feliz!

Cada animal é único e tem necessidades específicas, por isso o regime alimentar deve adequar-se ao seu peso, idade e características individuais. Este é o principal motivo pelo qual não devemos escolher aleatoriamente a ração que compramos lá para casa. A ração que o seu vizinho dá ao seu cão pode ser a melhor para ele, mas ser a pior para o seu!

Comer de uma forma saudável e conhecer a origem e composição dos alimentos são uma forma de contribuir para a saúde e ambiente. Mas como posso saber que estou a fazer a escolha certa?

E porque na vida já temos tantas tarefas e decisões complexas para realizar todos os dias, vamos simplificar: uma dieta equilibrada e nutritiva, acompanhada de atividade física regular e adequada, darão ao seu patudo e a si a qualidade de vida que tanto merecem!

Quando compramos alimentos para nós, lemos os rótulos para conhecer os ingredientes que compõem o produto (por vezes temos grandes surpresas em alimentos que considerávamos saudáveis quando descobrimos a sua composição). Com as rações caninas é igual! Para fazer a escolha certa devemos ler atentamente os rótulos (ou descrições quando compramos em lojas online) do produto: composição, percentagens e quantidade de ração que deve administrar em função do peso. O mais importante é que a fonte proteica se encontre em primeiro lugar na composição (por exemplo, carne, peixe ou ovo ao invés de cereais). Recomendamos que descarte as rações repletas de cerais, uma vez que não dão ao seu cão os nutrientes de que necessita. Aposte sempre nas rações super premium, que devem ter como primeiros ingredientes na sua composição o que ele mais gosta e precisa: carne ou peixe (exemplo: peru, frango, salmão).

No caso de existir, por qualquer fator de saúde avaliado em consulta, a necessidade de uma dieta específica, deve fazê-lo apenas quando existe um diagnóstico e uma recomendação específica do seu veterinário para efeito.

E já que estamos numa de ditados, outro aspeto fundamental é lembrar-se de que as aparências iludem! Podemos facilmente encontrar no mercado rações coloridas e de formas atrativas (quem nunca lançou a piada de que tinha tão bom aspeto que até apetece comer?) mas depois descobrimos ao ler o rótulo da embalagem que afinal os legumes e as verduras não estão presentes, mas sim corantes e outros elementos de valor nutritivo 0 para o nosso patudo.

Nunca se esqueça que todos os cães, devido ao seu crescimento acelerado, têm aparelhos digestivos sensíveis, o que explica a importância de uma dieta equilibrada e de grande qualidade nutricional. Poderá consultar no nosso artigo “Como garantir uma dieta equilibrada para o meu cão todas as dicas sobre o que deve procurar e rejeitar na escolha da alimentação do seu patudo, bem como conhecer as melhores formas para criar um espaço tranquilo e adequado para alimentação do seu patudo.

Vale a pena fazer a escolha certa, porque para ele… só queremos o MELHOR!

pt_PT
es_ES en_GB pt_PT
X